2.04.2018

The bloody chamber, Angela Carter

Hoje trago a opinião do primeiro livro que li em 2018: The bloody chamber de Angela Carter. Este livro é uma compilação de contos que eu li para o projecto de Janeiro da Mafalda (@aoutramafalda) - maratona FairyTales - focada em contos de fadas. Demorei a escrever esta opinião porque estava a contar ler mais livros para este projecto mas, uma vez que isso acabou por não acontecer, achei que estava na altura de falar deste livro.
 
The bloody chamber é um livro constituído por 10 contos, todos eles reimaginações de contos de fadas bastante conhecidos, tais como, O capuchinho vermelho e A Bela e o Monstro. São contos de tamanho diversificado, variando desde aqueles com apenas uma folha até aqueles com cerca de 20, mas todos eles são versões mais negras e sexualizadas do que os originais.
Esta foi a primeira obra que li de Angela Carter e, claramente, um dos destaques deste livro para mim foi a sua escrita sensual, sofisticada e rica. De uma forma muitas vezes metafórica e descritiva, ela apresenta histórias focadas em protagonistas fortes e temáticas muito femininas...histórias sobre sexualidade, violência, despertar sexual, balanço do poder no casamento, objectificação feminina, etc... Sem dúvida, que nos seus contos há um forte contraste entre a sociedade repressiva e tradicional, típica dos contos de fadas, e as protagonistas oprimidas que procuram libertação e uma identidade pessoal.


No entanto, como é frequente com as antologias, acabei por não adorar todos os contos presentes e isso acabou por afectar a classificação final. Acredito que todos eles possuem significados mais profundos do que parece à primeira vista (e leitura) mas realmente alguns acabaram por não me marcar e arrebatar durante a leitura. De seguida, comento brevemente cada um dos contos apresentados:
  • The bloody chamber (inspirado no conto "Barba azul"): este é o maior conto do livro e o meu preferido sem dúvida; explora temáticas como a objectificação da mulher e o papel da virgindade; é o conto com mais tensão e com um dos desfechos mais satisfatórios;
  • The courtship of Mr. Lyon (inspirado no conto "A bela e o monstro"): um dos dois contos inspirados na "A bela e o monstro" e o meu preferido dos dois; é um dos contos que faz um melhor uso do realismo mágico, misturando um cenário mais moderno com elementos mais fantásticos;
  • The tiger's bride (inspirado no conto "A bela e o monstro"): um conto mais focado na bestialidade e no poder da metamorfose do que o primeiro; confesso que, apesar de ter compreendido muito do simbolismo oculto, achei-o demasiado metafórico;
  • Puss-in-boots (inspirado no conto "O gato das botas"): o conto mais leve do livro; este foi também um dos meus preferidos pois conseguiu misturar bem elementos fantásticos e simbólicos, e oscilar bem entre um tom mais cómico e um tom mais negro;
  • The Earl-King (inspirado na figura folclórica "Erlking"): um conto muito focado na relação entre sexualidade e violência, já explorada também nalguns contos anteriores; apesar de não ser dos mais marcantes gostei particularmente do desfecho;
  • The snow child (inspirado no conto com o mesmo nome): o conto mais pequenino do livro, com apenas uma folha; apesar de curto consegue ser um conto intenso, condensando muitas das temáticas dos contos anteriores;
  • The lady of the house of love (inspirado nas histórias de vampiros da Roménia e a peça de rádio "Vampirella"): outro dos meus contos preferidos; aqui é a nossa heroína, uma vampira, que é o "monstro" e há claramente uma reversão de papéis que tornou mais interessante a exploração das temáticas; um conto muito marcado por decadência e corrupção;
  • The werewolf, The company of wolves e Wolf-Alice (inspirados no conto "O capuchinho vermelho"): curiosamente, alguns dos contos mais famosos da escritora foram os que menos me impressionaram (The company of wolves tem uma adaptação cinematográfica também famosa);

Concluindo, apesar de não ter adorado todos os contos, fiquei com vontade de ler mais obras da escritora. Recomendo para quem gosta de narrativas com uma forte perspectiva feminista e de realismo mágico.




E vocês? Já leram este livro ou algum da escritora? 



Podem acompanhar-me no: Twitter | Instagram | Goodreads | Facebook


2 comentários

  1. Li este livro há alguns anos e gostei imenso - o primeiro que li da autora e também fiquei com vontade de mais. Entretanto li "The Passion of New Eve" (não adorei, de todo) e "The Magic Toyshop". Recomendo muito que leias este! É lindíssimo, da maneira que a escrita de Angela Carter consegue ser.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vou acrescentar então esse à wishlist! Obrigada pela dica :)

      Eliminar

Latest Instagrams

© Sede de Infinito. Design by FCD.