5.11.2016

O Pimpinela Escarlate, Baronessa Orczy


Título: O Pimpinela escarlate (The Scarlet Pimpernel) | Autor: Baronessa Orczy
Editora: Bantam Classics | Ano de publicação: 1905 | Páginas: 306
★★★½

Os meses de Fevereiro e Março foram muito difíceis no que diz respeito a leituras. Acabei por começar vários livros e nunca os acabei...ou por falta de tempo ou de interesse. Assim, em Abril acabei por decidir que devia pegar num livro pequeno, leve e de aventuras porque geralmente este tipo de livros ajuda-me a sair das ressacas literárias. E o escolhido acabou por ser The Scarlet Pimpernel que é o primeiro de uma série de aventuras com o mesmo nome.

O Pimpinela escarlate decorre na altura da Revolução Francesa quando quem reinava era a impiedosa Guilhotina.  Um misterioso inglês, conhecido pelo nome de "Pimpinela escarlate" (alcunha dada em homenagem a uma modesta flor inglesa), e o seu grupo dedicam-se a resgatar os aristocratas franceses da morte e a transportá-los em segurança para Inglaterra. Perseguido pela polícia e governo francês, o Pimpinela consegue escapar sempre, sendo um mestre do disfarce e das fugas. Contudo, a sua sorte parece estar a acabar quando o agente francês Chauvelin jura descobrir a sua identidade, contando também com a ajuda da inteligente Marguerite St. Just, uma actriz francesa recentemente casada com Sir. Percy Blakeney, um nobre tolo e dandy.

Eu ouvi falar pela primeira vez deste livro há alguns meses atrás num canal de Booktube. A rapariga do canal, num vídeo, sugeria vários livros de aventuras de "capa e espada" para quem tivesse gostado dos "Os três mosqueteiros". Na altura, achei piada à premissa e acabei por comprar o livro. Apesar de ter demorado algum tempo até voltar a pegar no livro, valeu a pena a espera porque li-o no momento certo.


Este livro é realmente um livro de aventura com bastante intriga e mistério. À primeira vista, o maior mistério de todos seria provavelmente: "quem é afinal o Pimpinela escarlate?". Contudo, assim que as personagens são apresentadas é bastante evidente para o leitor quem é afinal o justiceiro, e eu penso que esse é um dos pontos fortes do livro. Enquanto nós percebemos logo quem é o verdadeiro herói, é engraçado ver como as outras personagens, principalmente a personagem feminina, não fazem a mínima ideia de quem é, e como eles interagem com o herói quando ele não está "disfarçado".
Na verdade, podemos ver este livro como um dos primeiros a apresentar uma personagem justiceira que possui uma identidade secreta. Sem dúvida, que ao ler o livro me lembrei muitas vezes da dicotomia Batman/Bruce Wayne e pensei que o autor provavelmente se inspirou neste livro para criar esta história. Aliás, o Pimpinela escarlate pode ser considerado o precursor de todos os super-heróis que estão em todo lado nos dias de hoje.
Para além da história em si, algo que gostei no livro foram as suas personagens principais. Temos o Pimpinela, que é uma personagem cativante pela sua astúcia e bravura, Marguerite St. Just, que é uma mulher inteligente e determinada, e temos também o vilão Chauvelin que é um antagonista também esperto e desenrascado. 


Para mim, o aspecto mais negativo do livro é a sua vertente um pouco "propagandista". No livro os heróis são os ingleses e, como tal, toda a Revolução Francesa é vista com maus olhos uma vez que foi uma revolução contra a monarquia (os ingleses adoram a monarquia!!). Como tal, todos os inimigos da monarquia são vistos como os vilões, o que eu considero uma visão um pouco simplista de toda a situação. Temos uma personagem que tenta trazer um pouco de balanço e bom-senso a este ponto mas o seu percurso final acaba por ir novamente de encontro a esta visão redutora.

De qualquer modo, gostei bastante desta leitura e recomendo para quem gosta de aventuras históricas, tais como, "O Zorro", "Robin dos Bosques", "Os três Mosqueteiros", etc..




  Linked:

1 | Filme de 1934 com Leslie Howard e Merle Oberon (IMDB)
2 | Filme de 1982 com Anthony Andrews e Jane Seymour (IMDB)
3 | Mini-série de 1999 com Richard E. Grant e Elizabeth McGovern (IMDB)


Há várias adaptações deste livro mas estas são as três que me chamam mais a atenção. Eu queria ver a de 1982, que é considerada provavelmente a melhor, mas estou com dificuldades em encontrá-la. Assim, em princípio, um dia destes devo assistir a de 1934.



Já viram algum destes filmes? Ou leram o livro?


“They seek him here, they seek him there
Those Frenchies seek him everywhere
Is he in heaven or is he in hell?
That demned elusive Pimpernel” 


2 comentários

  1. Olá Catarina,
    Não conhecia, nem o livro, nem os filmes/série mas parece-me bastante e a tua opinião agradou. Talvez, um dia, lhe dê uma oportunidade.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não o considero um livro imprescindível mas é uma leitura agradável :) Bjs

      Eliminar

Latest Instagrams

© Sede de Infinito. Design by FCD.