Se isto é um homem, Primo Levi

22:22

Título: Se isto é um homem | Autor: Primo Levi
Editora: Colecção Mil folhas - Público | Ano de publicação: 1947 | Páginas: 190
★★★★★

Neste clássico da literatura contemporânea, Primo Levi dá um testemunho pungente de uma tragédia que afetou milhões de pessoas. Considerado o mais belo livro já escrito sobre a existência massacrada dos judeus deportados, É isto um homem? Não é, no entanto, um relato carregado de ódio e vingança. Desprovidos de saúde, os judeus nos campos de extermínio dificilmente poderiam ser identificados com os homens que eram antes da tragédia. Muito menos seus algozes sem rosto, senhores de escravos, mas sem vontade própria, num campo de morte onde ela, afinal, era o menor dos males.

Hoje é o Dia Internacional da Lembrança de Holocausto e, como tal, achei que seria adequado publicar hoje a minha opinião deste livro. Vai ser uma opinião curta e bastante básica! Não há muitas palavras que consigam expressar o quão importante e intenso é este livro.

Primo Levi foi um químico e escritor italiano que esteve preso no campo de concentração de Auschwitz durante mais de um ano e Se isto é um homem é, então, o relato da sua experiência enquanto prisioneiro. Neste livro, Levi descreve, na primeira pessoa, o que passou desde que foi capturado pela milícia fascista em Itália e deportado para o campo de concentração até à chegada das tropas russas.

Este é um relato cru, duro e deprimente das condições de vida dos prisioneiros e do que eles faziam para sobreviver. Acima de tudo, Levi foca-se na questão da humanidade; no quão cruel pode ser o Homem e quão profundamente foram aquelas pessoas desumanizadas, quão rapidamente perderam a sua identidade. O autor procurou não apenas registar as suas memórias mas reflectir também sobre a condição humana e, no fundo, dar a conhecer a natureza humana em situações extremas.


Acima de tudo, gostei do tom que o autor usou na sua escrita. Não se deixou levar por uma abordagem auto-comiserativa, optando sim por uma descrição objectiva e honesta da luta pela sobrevivência. O tema é pesado mas achei a leitura bastante fluida.

Concluindo, este é um livro incontornável para quem quer saber mais sobre a terrível experiência dos campos de concentração, num relato em primeira mão. Deixo-vos com um excerto do poema de abertura do livro que reflecte bastante bem o conteúdo do mesmo:

“Vós que viveis tranquilos
Nas vossas casas aquecidas
Vós que encontrais regressando à noite
Comida quente e rostos amigos:
Considerai se isto é um homem
Quem trabalha na lama
Quem não conhece paz
Quem luta por meio pão
Quem morre por um sim ou por um não
Considerai se isto é uma mulher
Sem cabelos e sem nome
Sem mais força para recordar
(...)
Recomendo-vos estas palavras
Esculpi-as no vosso coração”



Esta publicação faz parte da iniciativa especial Leituras do Holocausto



Sugestões

4 comentários

  1. Olá Catarina,
    Este é daqueles livros que quero muito ler, apesar de saber que é um livro mais pesado.
    Como sabes li este mês Se Isto é uma Mulher de Sarah Helm e adorei. E sei que também tens curiosidade e acho que também vais gostar.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, não conhecia o Se isto é uma mulher mas fiquei interessada depois de ler a tua opinião. Realmente é um livro pesado mas estranhamente fluida. Gostei muito da escrita do autor. Bjs

      Eliminar
  2. Tenho mesmo de ler, é um tema que nunca podemos esquecer...
    Beijinhos e boas leituras! :D

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Verdade Carolina. E este acho que é mesmo um livro incontornável! Bjs

      Eliminar