1.30.2016

A Princesa e o Sapo


Hoje trago-vos uma publicação que se insere no projecto DisneyInUs criado pela Jaqueline do Blogue "Histórias Fantásticas". O objectivo deste projecto é todos os meses ver um filme da Disney e ler o conto/livro que lhe deu origem. Para o mês de Janeiro o seleccionado foi A princesa e o sapo, um filme de animação da Disney de 2009 e o conto base para o filme foi o O Príncipe Sapo dos irmãos Grimm. Eu não revi o filme porque já o vi algumas vezes mas acabei por reler o conto e hoje venho falar-vos de ambos. Irei dar pequenos spoilers para o conto mas não para o filme.


O Príncipe Sapo (The Frog Prince ou The Frog King em inglês) é um conto de fadas que se pensa que tenha sido registado pela primeira vez, na sua forma escrita, pelos irmãos Grimm. Actualmente, é um conto que faz parte integrante da maioria das suas colectâneas de contos, sendo geralmente o primeiro. Este é um conto bastante curto que conta essencialmente a história de um príncipe que foi transformado num sapo e que encontra uma princesa que consegue reverter o feitiço. E é na forma como o feitiço é quebrado que temos diversas variações do mesmo conto...

Eu li uma versão da história (e era a que eu lia em pequena também) em que a princesa promete ao sapo levá-lo para casa em troca de ajuda para recuperar a sua bola dourada. A princesa contudo tem nojo do sapo e tem dificuldades em cumprir a sua promessa e, só graças à insistência do pai, é que ela acaba por levar o príncipe para o quarto. Após três noite o feitiço é quebrado
Curiosamente, pelo que pesquisei, esta não é a versão original. Ao que parece no conto original a princesa não gosta nada que o sapo queira entrar na sua cama e, mesmo após insistência do pai, ela atira-o contra a parede:P Pensa-se que a história se tenha alterado quando o conto foi traduzido do alemão para o inglês...suponho que para agradar um público mais vasto. Mais recentemente, a versão mais conhecida é que em troca da ajuda para recuperar a bola o sapo pede um beijo à princesa; quando eles se beijam o feitiço é quebrado. Sem dúvida, que esta é a versão mais conhecida hoje em dia e a que está mais associada à cultura popular.

Na minha opinião, as três versões acabam por transmitir mensagens diferentes. A segunda versão pretende transmitir que devemos sempre cumprir as nossas promessas e a terceira, sem dúvida a versão mais romanceada de todas, transmite que as aparências iludem, que o importante não é o exterior. Confesso, no entanto, que a minha versão preferida é a primeira. Penso que esta versão pode querer transmitir que as raparigas não se devem submeter aos desejos dos homens (pais ou maridos) e devem seguir o seu coração. Há também quem diga que este conto simboliza a passagem da infância (criança a brincar com a bola) à vida adulta (vida de casada, em que a rapariga deixa um homem entrar no seu quarto). Realmente, é uma interpretação que faz sentido.

Concluindo, eu gostei de ler o conto. É um conto bastante pequeno que acaba por conquistar mais pelo seu simbolismo do que pela sua capacidade de entretenimento.


A Princesa e o Sapo é o 49º filme clássico de animação da Disney e foi lançado em 2009. Este foi o primeiro filme de animação da Disney a ter uma protagonista negra e foi também o último filme de animação do estúdio a ser feito na totalidade através de animação tradicional (desenho, sem recurso a computadores).
É baseado vagamente no conto acima mencionado. O filme decorre nos anos 20 em Nova Orleans e temos como protagonista a Tiana, uma crida que tem o sonho de um dia ter o seu próprio restaurante. Infelizmente, as coisas complicam-se quando ela se transforma num sapo após beijar outro sapo na tentativa de o ajudar a retomar a sua forma humana.

Eu vi este filme na altura que saiu, em 2009, e continua a ser um dos meus preferidos da Disney dos seus filmes de animação mais recentes. A animação é lindíssima e este filme é uma espécie de regresso à altura áurea da Disney em que o romance/conto de fadas musical era o rei (ex: Pequena Sereia, Alladin, Bela e o Monstro, etc..). Gosto do facto da Tiana não ser a nossa típica princesa, de ela ter um sonho e de lutar por ele. Aqui o sonho é mais do que isso...é uma meta, um objectivo para o qual ela trabalha. 

Tal como em muitos filmes da Disney, também aqui a família desempenha um papel muito importante e os laços entre a Tiana e o pai são enternecedores. Temos também outra relação que eu adoro: a relação de amizade entre a Tiana e a Charlotte. Elas têm personalidades diferentes, pertencem a estratos sociais diferentes mas entre elas há uma sincera e profunda amizade. É algo que também não se vê em todos os filmes de animação da Disney e por isso há que destacar. 


Além disso, o pano de fundo do filme é o Bayou, um cenário que acho sempre cativante e algo misterioso e que acho que é bem explorado no filme. 
O filme também tem muito sentido de humor. O príncipe Naveen é um bom vivant que adora música e diversão e temos também algumas personagens secundárias que funcionam bem como comic relief


Por fim, o meu ponto positivo vai para o vilão da história, o Dr. Facilier, que é um bruxo que pratica voodoo. Penso que é um vilão bastante subestimado pois existem cenas bastante creepy com ele e ele é super estiloso.


Mesmo assim, o filme não entraria para o meu top de filmes de animação preferidos da Disney. Penso que isto se deve essencialmente à música. Eu tenho uma relação de amor-ódio com jazz e há músicas que funcionam muito bem e outras que acabam por me irritar e aborrecer. É o que se verifica neste filme. Também, não sei porquê, não sinto uma química imensa entre o casal principal e por isso este não é daqueles pares pelos quais eu torço imenso. Acho que gosto mais da Tiana e do Naveen enquanto indivíduos do que enquanto casal. 


De qualquer modo, se são fãs de filmes de animação com histórias de encantar não deixem de ver este. Curiosamente, este é um dos filmes que prefiro ver em português do que em inglês.




E vocês? Já leram o conto ou viram o filme? 


3 comentários

  1. Quando era pequeno via uma adaptação de desenhos animados mas só me lembro da própria bola perdida e do sapo a tentar entrar na sala em que estão a jantar :P
    Essas diferentes interpretações são bem interessantes e fazem sentido :)
    Quanto ao filme da Disney, desde que foi lançado nunca mais o revi e não me lembro de quase nada a partir do momento em que é transformada até o final. Só sei do destino do pirilampo porque foi algo que me surpreendeu na altura x)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu acho que ainda vi um também (este: https://www.youtube.com/watch?v=cU_n8A2hU44).
      Sim, há umas partes no meio que são um pouco mais aborrecidas e menos memoráveis. E o destino do pirilampo é triste mas bonito ao mesmo tempo :)

      Eliminar

Latest Instagrams

© Sede de Infinito. Design by FCD.